sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

As Pastorinhas

Ah, as pastorinhas!
Quem não quer ser como elas
andando livres pelos campos,
ornamentadas e belas?

Caminham pelas verdes campinas
tocando o seu precioso gado.
Cantarolam todas, tão meninas,
levando à mão um pequeno cajado.

Descansam as suas cabecinhas
do sol que tudo queima,
no pico do meio-dia,
à sombra de uma oliveira.

Ah, as pastorinhas!
Quem não quer ser como elas?
Pulam alegres, cantam cirandas,
são tão formosas e singelas.

Carregam nos bolsos
pedrinhas a contar as ovelhas,
guiando-as morro abaixo, morro acima,
esperando o tocar das sineiras.

Vivem com seus pezinhos no chão
sentindo a grama orvalhada em seus dedos,
guardam em júbilo o coração
que não conhece receio ou medo.

Ah, essas pequenas!
Quem não quer ser como elas?
Voltam pra casa à tardinha,
cravada no cimo do outeiro,
onde dormem as pastorinhas.

Amir Sahid
Postar um comentário