quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Tempo Passado

Passou, passou...
Não mais voltará!
Foi-se como a fina areia
A escorrer pela ampulheta.

O ontem se perdeu,
Ficou espalhado em mil pedaços.
Ele não foi esquecido,
Foi pouco a pouco suprimido
Para disfarçar os nossos pecados

Findou-se... Está no passado.
Abandonado, tornou-se obsoleto
A fim de ficar no esquecimento, na ignorância.
Ainda permanece nas lembranças e memórias
Como sofrimentos imensuráveis
Ou felizes brincadeiras de criança

Pretérito, et finitum.
Virou cinzas nas chamas do tempo
Deixando esquecido um mar de desgostos.
Já dizia o velho ditado:
Rei morto, rei posto!
 

Amir Sahid
Postar um comentário